Sobre a Vida

Monstro

ncnc_monstro

Psiu! Não faça barulho. Ele pode acordar.

Ele vive no escuro, onde a luz não venceu a escuridão. Mija no breu. Como um animal, ele marca território nas sombras do meu coração.

Se alimenta de carinho. Rumina afeto. Regurgita indiferença. Ele saboreia o azedo da bílis com a qual enxágua a boca e molha seus beijos de adeus.

Quando faz frio, esquenta a pele áspera com os retalhos dos sonhos que espantou no meio da noite. Acredita no troco. E goza com a dor fazendo morada, agora, no outro.

Cheira à carniça dos sentimentos que matou sufocados. E sua o pus daqueles que sentiu prazer em ter machucado.

Ele é o porquê tanto temo minha verdade. É um monstro. Intrínseco. Congênito. De mim, indissociável.

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “Monstro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s