Sobre o Coração

A Velha Cristaleira

ncnc_avelhacristaleira

Da mais fina porcelana. Era uma xícara cujas curvas encaixavam-se perfeitamente em meus dedos. Cuja boca via, na minha sede, seu desejo de ser bebida.

Da mais delicada porcelana. Era uma xícara decorada à mão, como o meu coração. Decorada com cores que aos meus olhos faltavam, até então. Uma xícara com a asa pintada a ouro, como a que eu nunca tive. E à que penso nunca ser capaz de ter.

Era nova. E estava lá, dentro da velha cristaleira. Aquela que não tenho permissão para abrir, porque não foi me dada a chave.

A cristaleira que só posso olhar do lado de fora, aproximando meus lábios da superfície fria dos seus vidros. Brincando de rabiscar desejos sobre as manchas embaçadas deixadas pelo hálito sempre quente dessa minha ainda ofegante respiração.

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “A Velha Cristaleira

  1. Pingback: Papel e Tudo » A Velha Cristaleira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s