Sobre a Vida

Ao sol

ncnc_aosol

Quisera eu ser como você, sol. Desapegar da infinitude do céu e deitar-me, sem culpa, nos braços do horizonte.

Quisera eu ter aqueles que dependem do calor emanado pelo meu corpo. Recebendo-me com um sorriso nos lábios ao afastar as cortinas da janela pela manhã.

Quisera eu entender seu pôr, sol. Saber como morrer ao fim do dia. De todos eles. No grito mais agudo da minha beleza. Queimando nuvens ao redor. Renascendo glorioso depois da noite mais escura.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s