Sobre o Coração

Breu

29-breuQuando criança, João acreditava que a noite era um pano preto muito do grande que cobria todo o céu. Acreditava também que as estrelas lá estavam porque pequeninos pedaços desprenderam-se lá de cima, abrindo buracos e pontilhando com luz aquela solitária e escura imensidão sobre ele.

Ontem, já não tão criança, João perdeu-se do relógio quando parou no parapeito da sua janela e observou o mesmo céu.

Talvez fosse verdade que aquele preto-solidão da noite fosse um pano velho que cobria o sol, como no fim de um grande espetáculo. Talvez fosse verdade que, em cada esquina, pudéssemos encontrar seus despencados retalhos. Talvez fosse de um deles a culpa por João ter aquele coração.

Talvez foi um desses pedacinhos de breu que, ao cair sobre seu peito, fez João saber se apaixonar apenas pela solidão.

Anúncios
Padrão

Um comentário sobre “Breu

  1. Pingback: Papel e Tudo » Breu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s